Compra de imóveis RD Engenharia

Quanto preciso ganhar para comprar um imóvel?

O sonho do imóvel próprio permeia a mente de muitos brasileiros, mas isso ainda custa muito caro, porém existem formas de pagamento que facilitam essa compra. Para realizar um financiamento existem alguns requisitos que devem ser preenchidos, um deles é a renda mínima para que seja aprovado.

Qual a renda mínima para financiar um imóvel? Depende do valor do imóvel que você quer comprar, independentemente se for uma casa ou apartamento. Existem algumas regras do mercado imobiliário que precisam ser explicadas para que você entenda de quanto precisa para comprar um imóvel.

Regra dos 30%: a parcela de um financiamento imobiliário pode ter um valor máximo de 30% do seu salário. No cálculo para o financiamento de 20 ou 30 anos, portanto, haverá limitações no valor máximo que você poderá pagar. Exemplo: suponha que você queira comprar um imóvel de R$185 mil, 100% financiado em 20 anos. Sem contar os juros, você terá que pegar aproximadamente R$771 por mês. Para poder arcar com essa parcela, a renda familiar mínima terá de ser de aproximadamente R$2570. Importante lembrar que essa renda tem que ser comprovada com declaração do imposto de renda, carteira de trabalho, ou holerite.

Composição de renda: para financiar um imóvel de maior valor, a melhor forma é compor a renda familiar. Isso significa juntar mais de uma pessoa no financiamento afim de aumentar o valor máximo de parcela que pode ser pago, bem como aumentar o valor máximo de financiamento de um imóvel. Exemplo: usando o mesmo exemplo acima, se a renda de quem quer financiar o imóvel de R$185 mil for de R$1.500, não atinge o valor mínimo para a regra dos 30%. Ao compor a renda, juntando mais uma pessoa ao financiamento com renda mínima de R$1.070, já é possível conseguir atingir a regra dos 30% e financiar o imóvel.

Uma família que tenha como renda mensal o valor de R$ 6 mil, por exemplo, consegue financiar em um banco público um imóvel de R$ 186,84 mil e, nas instituições privadas, a mesma renda proporciona um financiamento de 209,25 mil.

Uma faixa intermediária de renda familiar entre R$ 10 mil e R$ 12 mil reais conseguiria financiar, em instituições públicas e privadas, imóveis cujo valor seria de R$ 352,06 mil e R$ 423,46 mil, respectivamente. Para superar a faixa de R$ 1 milhão, o valor da renda familiar teria que ser superior a R$ 30 mil

De acordo com o seu relacionamento com o banco e a negociação que vocês façam, são cobrados menos juros. Menos juros, significam que as parcelas serão menores, e você pode aumentar o valor do imóvel financiado. Relacionamento com o banco significa ter uma conta no banco, passar a receber sua conta salário no banco, usar outros produtos e serviços do banco, etc. Quanto menos juros você pagar, menor a renda mínima que você precisa comprovar, e maior o valor do imóvel que poderá ser financiado.

O financiamento de um imóvel pode se encaixar em dois sistemas:  Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Para se encaixar no SFH, o imóvel tem de atender a alguns critérios, como valor máximo (geralmente até R$750 mil), quem financia pelo SFH não pode ter outro imóvel em seu nome, há limite de juros máximos que podem ser cobrados do cliente, entre outros critérios. Atendendo a esse requisito, é possível usar o FGTS para pagar as parcelas ou saldo devedor do financiamento do imóvel.

No SFI, não há limitações de valores para os imóveis, e não é possível usar o FGTS para pagar as parcelas ou saldo devedor. Para financiar um imóvel, no SFH é possível financiar até 70% do valor de um imóvel usado e até 90% do valor de um imóvel novo. Para um imóvel no SFI, é possível financiar até 60% do valor do imóvel usado, e até 70% de um imóvel novo. Isso influencia na nossa regra dos 30%, além do valor necessário para dar de entrada na compra de um imóvel.

Quanto maior o valor de entrada no imóvel, menor será a renda mínima necessária para financiar o imóvel, já que o valor a ser financiado será menor.

Post a Comment