Minha Casa, Minha Vida: 7 questões esclarecidas para você financiar
Compra de imóveis Financiamento

Minha Casa, Minha Vida: 7 questões esclarecidas para você financiar

Conquistar a casa própria é o sonho de muita gente. Mas, por se tratar de algo de muito valor, existe a necessidade de financiar o imóvel. E para facilitar a vida da população, o governo federal criou o programa Minha Casa, Minha Vida, em que qualquer pessoa, inclusive autônomos, pode realizar esse sonho. Acontece que nem todo mundo sabe como o programa funciona e esclarecer as dúvidas é o primeiro passo.

Se você já ouviu falar do programa mas não sabe como ele funciona, não se preocupe. Nesta matéria, nós, da RD Engenharia, vamos esclarecer 7 dúvidas que vão ajudar a saber mais sobre o programa. Confira!

  1. O que é o programa Minha Casa, Minha Vida

O programa é uma iniciativa governamental brasileira que visa melhorar a situação habitacional do país, oferecendo condições variadas de financiamento. No primeiro trimestre de 2018 o programa foi responsável por mais da metade dos lançamentos imobiliários do país.

E não é para menos, afinal as facilidades que ele oferece são muitas. Mas para isso, existem algumas regras, que você vai descobrir ao longo do texto. Acompanhe!

  1. Conheça as condições de pagamento

Como dissemos, existem condições diferenciadas de pagamento, que varia conforme a renda mensal familiar. Pessoa da primeira faixa, com renda de até R$ 1.800,00, podem ter parte do valor pago pelo estado e o restante parcelado em até 120 meses. O beneficiários desta faixa não pagam juros, além das parcelas não poderem ultrapassar 5% da renda.

A outra faixa contempla pessoas com renda familiar entre R$ 1.000,00 e R$ 9.000,00, e podem financiar imóveis pelo programa em até 360 parcelas. Já a taxa de juros pode variar de 5% a 7,16% ao ano, enquanto as parcelas não podem ser superiores a 30% da renda familiar mensal.

Mas isso não quer dizer que você sozinho esteja impedido de financiar uma moradia.  O programa é bastante flexível e também abrange pessoas solteiras, ok?

  1. Não é qualquer imóvel que pode ser financiado

Não podem ser financiados imóveis usados, somente novos. Outra exigência do programa é quanto ao valor da edificação, que varia conforme a cidade ou região. Um dos parâmetros usados pelo Minha Casa, Minha vida é justamente o número de habitantes. Para adquirir uma casa ou apartamento num município com menos de 50 mil habitantes, o valor máximo é de R$ 90 mil.

Mas ele pode variar bastante, e essas informações você consegue, é claro, com a instituição financeira. A nossa dica é: pesquise a fundo sobre o assunto!


Confira também:

Afinal, quem pode utilizar o FGTS para comprar um imóvel?

7 passos para fazer um planejamento financeiro eficiente


  1. Quem pode participar do financiamento

Como o objetivo do Minha Casa, Minha Vida é facilitar a aquisição de imóveis por pessoas de baixa renda e renda média, qualquer pessoa que se encaixe nesses parâmetros pode participar do financiamento pelo programa. Isso inclui autônomos que comprovem transações bancárias de no mínimo seis meses corridos, e declaração do Imposto de Renda.

  1. Nome sujo também pode se inscrever

Quem possui restrições no CPF, o famoso nome sujo na praça, não necessariamente está impedindo de ingressar no benefício. É importante você saber que o programa não analisa o histórico de crédito na hora do cadastro, mas dependendo do caso, isso pode sim fazer a diferença no processo de aprovação do financiamento, principalmente se a pessoa estiver fora da primeira faixa (renda de até R$ 1.800,00).

Se porventura você se encontra nessa situação, não perca tempo e procura regularizar seus débitos o quanto antes, afinal você não colocar em risco o seu sonho de morar na casa própria, não é?

  1. O saldo FGTS pode ser usado no pagamento

Para quem não possui nenhuma reserva em dinheiro, por exemplo, pode usar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS para dar entrada ou usá-lo dividido nas parcelas. Vale lembrar que mesmo o valor da entrada pode ser parcelado.

Mas é importante saber que você, o contrato e imóvel devem estar enquadrados nas regras do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) na data da aquisição do imóvel. E para descobrir isso, é só consultar a instituição e tirar suas dúvidas. Essa é, sem dúvida, uma das maiores vantagens de quem deseja comprar uma moradia própria.

  1. É possível compor renda com um familiar

Você alguma vez já fez uma simulação para saber como seria o seu financiamento? Bom, são usados alguns critérios, entre eles a renda mensal e o tempo de serviço, que servem para calcular o valor da entrada e das parcelas. Se você compor renda com um parente, os valores podem ser mais flexíveis, o que configura uma vantagem e tanto.

Mas atenção! O parente necessariamente deve ser de primeiro grau, para a sua segurança e a do contrato.

Nesta publicação você esclareceu dúvidas muito frequentes de quem deseja participar do programa Minha Casa, Minha vida. É claro que a gente não pode deixar você na mão, por isso nós preparamos um material incrível. Clique aqui e baixe GRATUITAMENTE o guia FGTS: Saiba como o benefício pode ajudar você a comprar o seu imóvel!

Post a Comment